Manobrador de Máquinas Agrícolas e Florestais (MMAF)

mma_curso

logo-maquinas-agricolas

DURAÇÃO
16 Horas

ÁREA TEMÁTICA DA FORMAÇÃO
862 – Segurança e Higiene no Trabalho

DESTINATÁRIOS
Profissionais cujo exercício de funções dependa da utilização de equipamentos de trabalho ou venha a depender. Outros indivíduos, de ambos os sexos, que tenham interesse nesta área de formação.

ENQUADRAMENTO
O curso de Manobrador de Máquinas Agrícolas e Florestais surge como resposta ao dever das empresas prestarem aos seus trabalhadores e aos seus representantes para a segurança, higiene e saúde no trabalho formação adequada sobre os equipamentos de trabalho utilizados, conforme art.o 8 da Lei no50/2005 de 25 de fevereiro.

OBJECTIVO GERAL
Dotar os formandos de conhecimentos específicos para a utilização adequada de equipamentos de trabalho, nomeadamente no que respeita à manobra de máquinas agrícolas e florestais.

OBJECTIVOS ESPECÍFICOS
Como objetivos específicos, pretende-se que no final da ação de formação os formandos sejam capazes de:

  • Reconhecer e aplicar os princípios básicos de higiene e segurança no trabalho aplicados ao manuseamento de máquinas agrícolas e florestais;
  • Conhecer as condições anormais previsíveis e gerir as principais causas de sinistralidade na área em questão.
  • Conhecer as condições de utilização dos equipamentos e aplicar procedimentos de segurança na atividade de manuseamento de máquinas alfaias agrícolas e florestais;

ESTRUTURA PROGRAMÁTICA

  • Sensibilização em HST no local de Trabalho.
  • Principais causas de sinistralidade (situações anormais previsíveis)
    • Consciência de Segurança
    • Custo dos acidentes
    • Consequências dos acidentes para o próprio e para terceiros
    • Doenças profissionais
  • Procedimentos de Segurança (condições de utilização de equipamentos) em: o Tratores
    • Equipamento de Mobilização de Solo (Arado)
    • Equipamentos de Sementeira
    • Equipamentos para Corte
    • Equipamentos de Acondicionamento
    • Ceifeira-Debulhadora
    • Motos ceifeiras/Segadeiras
    • Motosserras
    • Motos roçadoras
    • Carregadores Transportadores o Arrastador
    • Guincho
    • Rachadores de lenha
    • Destroçador florestal
    • Reboque florestal
    • Grades de disco Florestais
    • Estilhadores
    • Rechegadores

METODOLOGIA DE FORMAÇÃO
A metodologia da formação é predominantemente participativa e assenta na realização de situações práticas, análise de situações concretas, assim como na troca de experiências entre participante e o formador.

Os métodos a utilizar serão o expositivo e participativo/ativo.

MODALIDADE DE FORMAÇÃO
Formação Profissional Contínua

FORMA DE ORGANIZAÇÃO DA FORMAÇÃO
Formação Presencial organizada em sala

PERFIL DOS FORMADORES
A execução da ação de formação será assegurada por formadores que, estando devidamente certificados ao abrigo da legislação em vigor – portadores de Certificado de Competências Profissionais (antigo CAP) –, disponham de conhecimentos teóricos e práticos aprofundados sobre as temáticas a abordar.

  • Habilitações académicas (formação de base e/ou complementar) na área temática;
  • Experiência pedagógica anterior (preferencial)
  • Experiência profissional relevante na área (preferencial)

RECURSOS MATERIAIS E PEDAGÓGICOS NECESSÁRIOS
De acordo com as necessidades detetadas ao nível de recursos a utilizar pelos formadores estas serão solicitadas pelo mesmo.

No que respeita às instalações e equipamentos necessários ambos os recursos serão identificados e solicitados, se for o caso, através da Ficha de Espaços e equipamentos.

MATERIAL A ENTREGAR AOS FORMANDOS

  • Manual
  • Exercícios de apoio à formação (quando aplicável)
  • Outro material de apoio produzido pelo formador (quando aplicável)

AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM

  • Avaliação Inicial de Diagnóstico
    No início da formação será realizada uma avaliação de diagnóstico (da autoria do formador), com o objetivo de aferir sobre as competências iniciais dos formandos. Será concretizada através da aplicação oral e/ou escrita de um conjunto de questões aos formandos.
  • Avaliação Sumativa – Final
    Neste curso a avaliação da aprendizagem é realizada no final da ação, tem caráter individual e incide sobre todas as matérias abordadas.

    • Instrumento de avaliação: teste/ ficha de avaliação sumativa, da autoria do formador. É obrigatório a entrega, ao Coordenador, do teste de avaliação, grelha, critérios de correção e cotações até cinco dias antes do início da ação e a sua devolução até cinco dias após a conclusão da mesma;
    • Parâmetros de avaliação: objetivos específicos do curso;
    • Escala de avaliação: 0 a 20 valores;
    • Observação do Comportamento do Formando – Será promovida, ao longo da formação, a observação do comportamento do formando, tendo em atenção os parâmetros participação, responsabilidade, relações interpessoais e pontualidade.
    • Caso o formador considere não adequado o comportamento de algum formando nos parâmetros referidos deverá comunicar fazer o registo da ocorrência em ficha própria – Ficha de Registo de Ocorrências – e comunicar de imediato a situação à coordenação;
    • Aproveitamento: depende de uma classificação final maior ou igual a 10 valores.

ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO DA FORMAÇÃO
O acompanhamento à formação é contínuo, quer no local da formação sob a figura do formador, quer ao nível da coordenação pedagógica.

No decorrer da formação existirá pelo menos uma avaliação à ação, por parte dos formandos, através da aplicação de um questionário. No final do curso a ação também será avaliada pelo formador.

Os formadores serão avaliados no final da ação, também através a aplicação de um inquérito ao seu desempenho.

REGIME DE PRESENÇAS E CERTIFICAÇÃO
Regime de presenças:
É obrigatória uma frequência efetiva igual ou superior a 80% da carga horária do curso para obtenção do respetivo aproveitamento.

Certificação: A frequência com aproveitamento confere ao formando o direito a receber um Certificado de Formação Profissional com uma nota final igual à classificação obtida na avaliação final da aprendizagem.

O direito ao certificado implica:

  • A avaliação final igual ou superior a 10 valores;
  • A assiduidade igual ou superior a 80% da carga horária da formação;
  • O comportamento adequado.No caso destas condições não se verificarem cumulativamente será entregue uma Declaração de Frequência de Formação Profissional, titulo que comprova que o formando frequentou a ação de formação

REQUISITOS DE FREQUÊNCIA E CRITÉRIOS DE SELEÇÃO

Requisitos de Frequência
Ao nível dos requisitos de frequência para o curso foram definidos os seguintes:

  • Ativo empregado ou desempregado com idade igual ou superior a 18 anos. Poderão ser aceites formandos com idade superior a 16 anos desde que comprovadamente inseridos no mercado de trabalho;
  • Escolaridade mínima obrigatória de acordo com a data de nascimento ou em processo de aquisição dessas habilitações ou em processo de aquisição dessas habilitações;
  • Compreensão oral, escrita e leitura da Língua Portuguesa;

Documentos obrigatórios:

  • Cópia de documento de identificação (BI/ CC);
  • Cópia do cartão de contribuinte;

Critérios de Seleção

Apenas haverá aplicação de processo de seleção a formandos, se o número de formandos interessados em frequentar a ação de formação for superior ao número de vagas disponíveis.

Em caso de processo de seleção os critérios a considerar serão:

  • Verificação completa dos requisitos de frequência;
  • Ativos empregados cuja atividade dependa ou esteja associada à promoção da segurança e saúde no trabalho;
  • Ativos desempregados que pretendam melhorar as suas competências profissionais para reingresso no mercado de trabalho;
  • Motivação e interesse demonstrados em ingressar no curso de formação;
  • Comportamentos demonstrados em entrevista.